O que é o Programa Mais Ajuda?

O Mais Ajuda é um programa do Lidl Portugal e das rádios Renascença, RFM e Mega Hits, em parceria com a Beta-i, que promove o empreendedorismo ao serviço da sociedade, impulsionando IPSSs – Instituições Particulares de Solidariedade Social (ou equiparadas) e Startups (ou empresas de empreendedorismo social).
O programa pretende aproximar estas duas realidades distintas e impulsionar o desenvolvimento de boas práticas e novas metodologias junto do terceiro setor. Nesta edição, o Mais Ajuda irá apoiar projetos que promovam o envelhecimento feliz e saudável.

Qual é o objetivo do Mais Ajuda?

O principal objetivo do Programa Mais Ajuda é apoiar projetos inovadores com impacto social, capazes de encontrar respostas efetivas a problemas sociais e aproximar IPSSs e Startups, potenciando a partilha de conhecimento, experiência e perspectivas.

Como posso contribuir para o Mais Ajuda?

Para apoiar esta causa e fazer a diferença este Natal na vida dos idosos, basta comprar produtos Deluxe. Por cada compra com produtos Deluxe nas lojas Lidl, contribui com 0,20€ para os melhores projetos de impacto social selecionados ao abrigo do Mais Ajuda, de forma a desenvolverem e implementarem novas soluções de apoio ao envelhecimento feliz e saudável.

Como funciona o Programa Mais Ajuda?

O programa tem cinco fases distintas:

  1. Campanha Deluxe em loja: “Ninguém ajuda como os nossos clientes”
    Entre os dias 26 de outubro e 31 de dezembro, por cada compra com produtos Deluxe nas lojas Lidl, 0,20€ revertem para o Programa Mais Ajuda. O valor total recolhido será posteriormente entregue aos melhores projetos de inovação social de apoio a idosos, selecionados ao abrigo do Programa.
  2. Candidaturas
    As candidaturas ao Programa Mais Ajuda decorreram em janeiro e fevereiro de 2021. São considerados candidatos as IPSSs (ou equiparadas) e as startups (ou empresas de empreendedorismo social) que cumpram os requisitos constantes no Regulamento do Programa.
  3. Seleção e Avaliação
    De todos os projetos candidatos serão selecionados 20 finalistas, segundo os critérios de avaliação e os critérios de elegibilidade, presente no Regulamento.
  4. Anúncio dos Projetos Vencedores
    Os projetos finalistas apresentarão os seus projetos ao júri do Programa, que por sua vez, irá avaliar e identificar os 10 vencedores, segundo os critérios de avaliação.
  5. Programa de Aceleração
    Os projetos vencedores, para além do apoio monetário e visibilidade, irão receber um programa de 6 semanas, que irá disponibilizar as ferramentas necessárias para o seu crescente impacto social sustentável

Quem se pode candidatar ao Programa Mais Ajuda?

Ao Mais Ajuda podem candidatar-se:

  1. IPSSs (Instituições Particulares de Solidariedade Social) ou instituições com estatuto equiparado com projetos dirigidos a idosos. IPSSs são instituições sem fins lucrativos que desenvolvem atividades de solidariedade social e procuram dar resposta a situações de emergência social e apoiar os cidadãos mais vulneráveis.
  2. Startups com impacto social (ou empresas de empreendedorismo social) com projetos dirigidos a idosos. Startups são empresas recém-criadas com o objetivo de desenvolver um modelo de negócio, normalmente de base tecnológica, ainda em fase de desenvolvimento e crescimento. Para o efeito do Programa Mais Ajuda, compreendemos o termo startup de forma abrangente, englobando igualmente iniciativas de empreendedorismo social.

Quais são os critérios de elegibilidade (cumulativos) para IPSSs e instituições equiparadas?

  1. IPSSs legalmente constituídas, devidamente registadas e a operar em Portugal Continental;
  2. IPSSs que dispõe do estatuto de IPSS (ou equiparada) – necessário apresentar comprovativo do estatuto para candidatura.
  3. IPSSs que cumpram as condições necessárias ao exercício da respetiva atividade e estejam devidamente regularizadas junto dos organismos responsáveis.
  4. IPSSs com projetos inovadores cujos beneficiários sejam idosos

Quais são os critérios de elegibilidade (cumulativos) para Startups (ou empresas de empreendedorismo social)?

  1. Startups ou Empresas de Empreendedorismo Social legalmente constituídas, devidamente registadas e a operar em Portugal Continental;
  2. Startups ou Empresas de Empreendedorismo Social que cumpram as condições necessárias ao exercício da respetiva atividade e estejam devidamente regularizadas junto da Administração Fiscal e da Segurança Social;
  3. Startups ou Empresas de Empreendedorismo Social de qualquer indústria, com até 50 colaboradores e uma faturação ou apoio financeiro anual não superiores a 2.000.000€;
  4. Startups ou Empresas de Empreendedorismo Social com projetos de impacto social de apoio a idosos.

Não faço parte de uma IPSS ou Startup já estabelecida, mas tenho uma ideia ou projeto que se integra no Programa Mais Ajuda. Posso participar?

Apenas serão consideradas IPSSs, instituições equiparadas, Startups e empresas de empreendedorismo social que estejam estabelecidas legalmente, formalmente e a operar em Portugal Continental, ou seja, que tenham ultrapassado a fase inicial de construção da ideia de negócio. Neste sentido, são consideradas somente entidades já estabelecidas em Portugal Continental cujos projetos se encontrem implementados ou em fase de implementação. Se tiver alguma dúvida acerca deste ponto, não hesite em contactar-nos através da área contactos.

O que é que os concorrentes podem ganhar?

Cada uma das 10 iniciativas selecionadas receberá:

  • apoio monetário cujo valor será anunciado em janeiro de 2021, resultado da campanha em loja de Deluxe;
  • programa de aceleração, composto por 6 semanas e ferramentas essenciais para ao seu crescente impacto social e sustentável;
  • Visibilidade e comunicação dos seus projetos nos vários canais de comunicação dos parceiros do programa (Lidl, rádios Renascença, RFM e Mega Hits e Beta-i);

Quando decorrem as candidaturas ao Programa?

As candidaturas ao Programa Mais Ajuda decorreram em janeiro e fevereiro de 2021. Para receber um alerta da aberturas das candidaturas, clique aqui.

Como funciona o processo de candidaturas?

Os interessados em participar, terão de preencher o formulário que será disponibilizado na secção de Candidaturas do site, respondendo a todas as questões colocadas da forma mais completa possível e enviando documentos de suporte à candidatura, caso necessário.

Como são avaliados os projetos?

Os projetos submetidos serão avaliados pelo Lidl Portugal e pela Beta-i numa primeira fase, de acordo com os critérios de elegibilidade. Asseguradas estas condições, será atribuída uma avaliação quantitativa e qualitativa e identificados os 20 projetos finalistas. Os projetos finalistas serão apresentados ao júri do Programa, em formato e data comunicados com um mínimo de 15 dias de antecedência. Serão então avaliados pelos jurados, com base nos mesmos critérios de avaliação, sendo depois selecionados os 10 projetos vencedores.

13. Quais são os critérios de avaliação dos projetos (IPSS e Startups)?

Os cinco critérios de avaliação são os seguintes:

  1. Impacto Social: refere-se às mudanças a longo prazo, resultantes da atividade da organização, que afetem positivamente indivíduos, comunidades e a sociedade como um todo; Este critério é fundamental para análise qualitativa e quantitativa do apoio dado às comunidades pelos projetos.
  2. Potencial de Crescimento: refere-se à capacidade da organização, projeto e equipa terem potencial de desenvolvimento e crescimento, fomentando a geração de emprego; Este critério é essencial, uma vez que os projetos têm de garantir sustentabilidade e perspetiva de crescimento em curto/médio prazo.
  3. Equipa: procura avaliar a maturidade, complexidade e complementaridade da equipa por trás do projeto/entidade/organização; As equipas são críticas para o sucesso de qualquer projeto, daí a sua importância e inclusão.
  4. Inovação: avalia o grau de inovação do projeto, segundo as seguintes dimensões: novidade da solução, integração de novas tecnologias, ferramentas e/ou know-how, causa nunca antes apoiada (problemas emergentes) e novas dinâmicas, metodologias, processos e sinergias entre parceiros; Este critério é fundamental, uma vez que avalia a diferenciação das respostas na abordagem aos problemas sociais.
  5. Exequibilidade: avalia o grau de viabilidade e sustentabilidade do projeto. A análise da viabilidade do projeto é necessária pois permite perceber a sua sustentabilidade, assim como necessidade de investimento.

Qual é a composição do júri?

O júri é composto por 5 profissionais, com um percurso reconhecido na área da inovação, comunicação, empreendedorismo e impacto social, nomeadamente:

  • Filipe Almeida – Presidente do Portugal Inovação Social
  • Isabel Figueiredo – Adjunta do Pres. do Cons. De Gerência do Grupo Renascença Multimédia
  • Luís de Melo Jerónimo –Diretor dos Programas Gulbenkian Coesão e Integração Social e Gulbenkian Sustentabilidade da Fundação Calouste Gulbenkian
  • Pedro Rocha Vieira – CEO e Co-fundador da Beta-i
  • Vanessa Romeu – Diretora de Comunicação Corporativa do Lidl Portugal.

Quando e como serão anunciados os resultados de cada uma das fases da avaliação?

Após o término da fase de candidaturas, todos os candidatos serão contactados por email, dando-lhes a conhecer se foram selecionados para a próxima fase. Apenas os candidatos que passam à segunda fase serão contactados telefonicamente. Os vencedores do Mais Ajuda serão posteriormente anunciados, num evento próprio para o efeito, cujo formato e data serão oportunamente comunicados.

Quando serão anunciados os resultados da campanha de Deluxe em loja?

Os resultados serão anunciados em janeiro de 2021, após término da campanha em loja e apuração do valor recolhido com a ajuda dos clientes Lidl.

Onde poderei saber mais sobre o Programa Mais Ajuda?

Para mais informações sobre, consulte o Regulamento do Programa aqui.

Para mais informaçes sobre o Programa Mais Ajuda:
Para mais informaçes sobre o Programa Mais Ajuda:

Regulamento do ProgramaouContacte-nos